[RESENHA] Os 13 Porquês - Jay Asher

A trama nos é apresentada através do ponto de vista de Clay, que ao voltar da escola, recebe em sua casa um pacote um pacote misterioso. ...

Os 13 Porquês - Jay Asher
A trama nos é apresentada através do ponto de vista de Clay, que ao voltar da escola, recebe em sua casa um pacote um pacote misterioso. contendo sete fitas cassetes. Ao abrir, ele descobre que elas foram gravadas por Hannah Baker, uma garota por quem ele foi apaixonado, antes de seu suicídio. 
As fitas foram gravadas em ambos os lados e em cada um, a garota conta sua história dirigindo-se especificamente a uma pessoa, tendo como finalidade explicar o que a levou à sua decisão e atribuindo a uma sua responsabilidade na história. 
Sendo assim, ao todo, ela atribui as fitas a treze pessoas e seus seus treze motivos para estarem ali, e cada uma delas receberá o pacote em ordem de menção nas fitas, tendo que ouvir todas elas para entender seu papel na decisão de Hannah e, depois, enviá-las à pessoa seguinte. 
A princípio Clay, não entende porque recebeu a caixa, visto que ele não se lembra de ter feito mal algum a Hannah, a única coisa que vinha em sua mente foi quando eles haviam ficados juntos uma única vez, em uma festa que acabou por mudar a vida de todos, porém, o que ele não sabia, é que ele era um dos motivos principais, dela ter cometido tal ato. 
Toda narrativa se dá em primeira pessoa, tanto pelo ponto de vista de Clay, enquanto ouve as fitas, quanto por Hannah, através das fitas. O diferencial da trama é que diferente das histórias que trazem narrativas alternadas em seus capítulos, aqui ambas se dão simultaneamente, de forma que conseguimos perceber as reações de Clay imediatamente após ao foi exposto por Hannah, que, por sua vez, é entrecortado pela voz do garoto. 
Sem dúvidas, a narrativa ser exposta dessa forma, tornou a história muito mais interessante, o fato de manter Hannah em papel duplo, como narradora (sendo vítima de todas as situações que a acometeram), e como vilã, visto que mediante todos os áudios, ela desperta terror em Clay, e em todos que ouvem sua narrativa, ao apontar suas responsabilidades em seu suicídio. 
É justamente todo esse terror e as expectativas sobre o que mais Hannah, tem a contar, que o suspense de Os 13 porquês nasce e nos conduz por cada página, tornando impossível interromper a leitura, pois ficamos ansiosos por entender o cenário completo que se formou no contexto de vida de Hannah. 
O autor não narra somente o suicídio, através de todo cenário que é ciado por Hannah, ele consegue transmitir outras mensagens como, as questões de gênero, já que muitos dos diversos assédios sofridos por Hannah tem como origem única e exclusivamente o fato dela ser do sexo feminino; a depressão e como a falta de um tratamento e atenção à pessoa, pode levar ao suicídio; a principal mensagem que me chamou atenção, foi a da sensação de efeito dominó, que cada pequena atitude, mesmo que imperceptível, pode afetar a vida de outra pessoa, ainda mais quando já existe uma condição prévia de desestrutura emocional e psicológica. 
Apesar da trama envolver temas complicados, porém muito importantes, fiquei presa na leitura, conseguindo largar somente no fim, o autor tem um dom incrível na escrita. 
Esse é uns livros que, apesar de estra classificado na faixa etária juvenil, pode muito bem ser lidos por leitores de todas as idades, justamente pelo tema chamar atenção para seriedade dos distúrbios mentais e por ser um lembrete constante de que somos capazes de afetar a vida de outras pessoas de maneiras que jamais poderíamos imaginar. Acredito que esse livro, tenha um cunho importante, justamente para os pais e educadores, pois os alerta de sintomas que podem estar ali diante de seus olhos, e que por não conseguirem enxergar, acabam tomando proporções gigantes, muitas vezes sem volta. 
Um ponto que acho de extrema importância ressaltar, é que se você, caro (a) leitor (a), de alguma forma se sente, ou já se sentiu na pele da Hannah, que antes de tomar qualquer atitude que pode no seu ver, resolver a situação, mas que pode gerar sofrimento a seus entes queridos, que fale, procure ajuda, seja através de seus pais, especialistas, bancos de ajuda como o CAV (Centro de apoio a vida), tenha certeza que sempre vai ter alguém, disposto a te ajudar, a vida apesar de difícil, merece ser vivida. 
Esse livro mexeu muito comigo, pois lido todos os dias com pessoas que constantemente passam por dificuldades, e o que peço é que fiquem alertas quando alguém, pedir ajuda, mesmo que seja da mínima forma. 
A editora Ática lançou o livro em duas edições: A primeira com a capa original e a segunda com a capa da série, ambas ficaram muito legais, a arte por dentro do livro também não deixou a desejar, não encontrei nenhum erro ortográfico, e a diagramação está excelente. 
Ah, aproveitando que já citei ali em cima, a essa altura do campeonato, acredito que vocês já saibam, que temos uma série baseada no livro, e que atualmente está em sua segunda temporada, tanto a primeira, quanto a segunda estão disponíveis na Netflix.



Leia Os 13 Porquês

Talvez você goste

0 comentários