sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

# AnaC # Antoine de Saint-Exupéry

[RESENHA] O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry

O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry
Começamos o livro com o narrador contando sobre quando, aos seis anos, desistiu de desenhar, após seus dois serem totalmente incompreendidos pelos adultos. Ao se tornar adulto, torna-se piloto de avião viajando um pouco pelo mundo inteiro. 
Sempre que desejava testar a inteligência de alguma pessoa que conhecia, mostrava seu primeiro desenho (uma jiboia digerindo um elefante, interpretada por todos como sendo um chapéu) e a resposta nunca deixava de ser equivocada.
Um dia o avião do nosso piloto, que vive sempre sozinho, sofre uma pane no deserto do Saara, justamente quando não levava mecânico ou passageiro algum. Sendo assim, ele precisa fazer o conserto ele mesmo, enquanto a água que tinha para beber seria suficiente para apenas oito dias. Após a primeira noite no deserto, ele é acordado por um pequeno homenzinho, louro e feliz, que lhe pedia para que desenhasse um carneiro, e no restante dos dias em que consertava o avião ele tentou descobrir mais a seu respeito e do planeta de onde ele dizia ter vindo. O pequeno príncipe dizia que habitava o asteroide B612, cujo único habitante, era ele.
Bastante curioso, era raro responder alguma pergunta que lhe era feita, mas nunca cansava de ouvir a resposta das que fazia. Ao longo da conversa contou sobre o crescimento de baobás em seu planeta, a maneira como é possível ver o sol se pôr centenas de vezes ao dia somente ao mover sua cadeira, e também sobre a vaidosa flor a quem amava e de quem cuidava, mas que precisou abandonar para conhecer novos mundos. Tudo isso de maneira tranquila, soltando informações ao piloto que aos poucos ia aprendendo a lidar com seu jeito misterioso e que se surpreendia com sua sensibilidade e modo de enxergar e interpretar as coisas.
Sem nunca cansar, ele continuou relatando sobre os asteroides pelo qual passou, os habitantes que conheceu e os inteligentes diálogos que travou com eles. Antes de chegar na Terra, teve oportunidade de conversar com um rei, um vaidoso, um beberrão, um empresário, um acendedor e um geógrafo; isso tudo só fazia com que sua certeza de que os adultos são criaturas realmente estranhas. Enquanto a preocupação com sua flor crescia cada vez mais, conheceu no deserto da Terra uma serpente e depois uma raposa, com quem conversou sobre amizade e que lhe ensinou sobre cativar e ser cativado.
Nessa história incrivelmente linda, nos é apresentado todos os conhecimentos sobre amor, amizade e principalmente sobre a vida, também é falado sobre a vaidade ganância, orgulho... o que sempre achei muito interessante é a critica feita a respeito do comportamento e do pensamento humano, sobre a perda da pureza e das coisas simples quando chegamos a fase adulta.
O autor nos leva a refletir sobre o que é ser criança, e todas as mudanças que sofremos durante o nosso crescimento. O pequeno príncipe, foi o primeiro livro que li quando era criança, e me marcou de um jeito, que hoje em dia, ainda é meu livro favorito, ler eles nos dois momentos da minha vida, foi essencial, na infância, quando as ilustrações me chamaram atenção e durante a transição adolescente para fase adulta, na qual, toda história fez sentido, pude finalmente entender o significado da mensagem que nos é passada. 
É um livro único, repleto de ilustrações, que na época em que eu li já havia achado um máximo, hoje em dia temos uma edição de luxo, que está muito bonita, sem nenhum erro ortográfico e com uma diagramação e letras em tamanho ideal é leitura essencial para se ter contato a qualquer momento da vida e que recomendo para hoje é que quem ainda não teve a oportunidade de ler, leia, e quem já leu, releia sempre que possível!

O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry

Leia O Pequeno Príncipe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow Us @soratemplates