[RESENHA] O verão que tudo mudou - Gabriela Freitas, Thaís Wandrofski e Vinícius Grossos

Nesse livro que é a coisa mais fofa do mundo, temos três contos de três autores diferentes, porém com uma coisa incomum: Nas histórias e...

O verão que tudo mudou - Gabriela Freitas, Thaís Wandrofski e Vinícius Grossos
Nesse livro que é a coisa mais fofa do mundo, temos três contos de três autores diferentes, porém com uma coisa incomum: Nas histórias encontramos personagens na transição adolescente para a vida adulta, e tudo que vem de brinde nessa fase tão complicada que todos nós já passamos (ou estamos passando). Todos eles possuem responsabilidades, inseguranças, alguns não sabem o que esperar do futuro ou até mesmo o que querem para si, todos estão no difícil processo de amadurecimento. É possível nos encontrar, mesmo que pouco, em cada personagem. Os autores fizeram um ótimo trabalho capitando a essência dessa fase.
O primeiro conto é do Vinícius Grossos e se chama Dezembro - Quando infinitos se encontram nele conhecemos Frederico, um rapaz que trabalha numa livraria. Ele é simpático e apaixonado por livros, mas com um grande problema: não tem um sonho. Com isso, ele se sente perdido, pois não consegue ver algo que almeja ter ou ser.
A véspera de Natal para ele já é uma data ruim, por seus pais não comemorarem a data desde o falecimento de seus avós, e ainda recebe a notícia que Bárbara, gerente da livraria, e qual ele considera sua única amiga, irá se mudar da cidade onde moram para correr atrás de seu sonho.
Nesta mesma noite, ele atende um cliente muito mal-educado que quer uma indicação de um livro para a namorada. Ele, então sugere que o rapaz, compre uma edição muito bonita do Pequeno príncipe, porque as chances de dar errado são mínimas (afinal, quem não ama o Pequeno Príncipe não é mesmo) e por saber que sua família não comemora o natal, acaba ficando para fechar a loja.
Enquanto está arrumando a loja para enfim fechar, ele se depara com uma jovem bastante furiosa na porta, que por mais que ele insista que já fechou e que trocas somente no próximo dia útil, ela não se conforma enquanto ele não atende, irritado com a insistência da moça em realizar a troca do livro, ele acaba abrindo a porta. Porém ela acaba tendo uma atitude não muito educada e ele, já irritado com ela, responde a altura, e quando pega o livro a ser devolvido, ele acaba sendo surpreendido, é o é o mesmo que o rapaz mal-educado havia comprado. Em meio a toda essa confusão, ao fechar loja para ir embora, a jovem vai atrás dele, e é aí que sua noite de Natal, que tinha tudo para ser monótona se torna a noite mais louca e inesquecível da sua vida!
Fred é o cara mais fofo e perdido que eu já conheci, me encantei com ele logo de cara, a história dos dois acaba se tornando uma aventura louca, e graças a isso tudo, com ele aprendemos que não ter sonhos ou um rumo a seguir na vida, é normal, afinal nessa fase queremos tudo e não sabemos por onde começar. O autor destacou de uma forma incrível como dois jovens tem perspectivas diferentes na vida e como um acabou ajudando o outro, foi uma leitura ótima para começar o livro!
O segundo conto é da Gabriela Freitas e chama-se, Janeiro – "Mantenha-se viva!", nele conhecemos Lavínia. Ela acaba de realizar seu maior sonho, passar no vestibular para uma das melhores universidades de arquitetura e urbanismo. Porém, apesar de ter conquistado o sonho de passar vestibular, Lavínia não quer mais esse curso. Aí vem uma das maiores questões da sua vida: Como contar para os pais que não quer mais isso? E em meio a isso, ainda precisa ter uma conversa séria com seu namorado, para resolverem a relação deles que há tempos não está boa...
Confesso que me identifiquei muito com a história da Lavínia, porque assim como ela, queria muito entrar na faculdade e quando finalmente entrei me dei conta que já não tinha mais interesse por o curso que eu sempre sonhei em fazer, passei por todos os questionamentos dela, inclusive a difícil decisão de contar aos meus pais que queria trocar de curso, me sentia sufocada, acho que todo mundo na vida, já passou por algo parecido... Como explicar para os outros que você não quer mais algo que lutou a vida toda para conseguir? Esse conto vem para nos fazer pensar sobre isso. E esse conto, também nos faz refletir até que ponto nos doamos para a felicidade do outro e como é importante nossa felicidade estar acima de tudo. 
Esse conto diferente do primeiro, nos mostra que abrir mão de sonhos antigos para buscar sonhos novos é mais que normal, e acredite, isso é de extrema importância para que nossa vida se mantenha sempre em movimento, abrindo e fechando ciclos.
O terceiro e último conto é da Thaís Wandrofski e se chama: Fevereiro – Pôr do Sol, aqui, vamos conhecer a história da Marisol. Ela tem uma irmã gêmea chamada, Maristela, que apesar de serem idênticas, possuem personalidades completamente diferente. Marisol gosta de ter controle de tudo, tem poucos amigos e não namora muito, o oposto da irmã.
Mas, não pense que esse conto vai falar sobre as diferenças entre as duas, mesmo que a trama foque um pouco nisso. O conto fala sobre se arriscar. Sol tem suas férias toda planejada e quer que seus amigos façam exatamente o que ela quer, sem se importar que eles já tenham planos. Imagino que a essa altura você esteja pensando: Nossa, como ela é egoísta, não pensa em ninguém, te asseguro que não é egoísmo, é o jeito de ser dela.
Quando ela descobre que sua melhor amiga, junto com uma outra menina, está falando dela e a apelidando de controladora, tudo começa a mudar. A troca de mensagens com T, uma pessoa que ao mandar uma mensagem errada para ela, acaba se tornando um amigo, ou seria amiga? T, acaba se tornando um refúgio para Sol. Quando finalmente Sol decide deixar de controlar as coisas e simplesmente deixa que elas aconteçam, coisas mágicas acontecem e sua vida muda.
Aposto que após ler esse conto, muitos se identificarão, pois no mundo existe milhões de pessoas que acham que podem ter o controle de tudo e por conta disso acabam perdendo o melhor que a vida tem a oferecer, por ter medo de sair da rotina.
Me encantei por esse desde quando vi ele a primeira vez, sim, é aquela velha história que o livro me ganhou pela capa, mas esse aqui, além disso, me ganhou pelo conteúdo e por tudo de lindo que tem nele.
Nunca havia lido nada de nenhum dos três autores, mas posso dizer com toda certeza que minha primeira experiência foi maravilhosa! Só posso agradecer a eles, por terem se dedicado a escrever contos que nos tocam de maneiras diferentes, e que de certo modo, nos fazem refletir sobre os acontecimentos da nossa vida através do Fred, da Lavínia e da Sol.
E o que falar da editora Faro, que fez cada página desse livro se tornar tão especial através da arte gráfica, cada linha escrita em azul com detalhes rosas, as artes espalhadas pelas páginas, que nos faz ter vontade pegar cada uma e pôr em um quadro! E ao final de cada conto, encontramos uma playlist muito legal! Com uma diagramação perfeita e sem nenhum erro ortográfico, temos 297 páginas de puro amor! Parabéns Faro, vocês arrasaram!
Nem preciso falar que eu mais que recomendo que vocês comecem a leitura desse amorzinho em forma de livro o mais rápido possível né?

O verão que tudo mudou - Gabriela Freitas, Thaís Wandrofski e Vinícius Grossos

Encontre O Verão em que Tudo Mudou
Amazon - Saraiva - Folha - Submarino - Americanas - Cultura - Shoptime - FNAC - Travessa

Talvez você goste

0 comentários