Follow Us @dayukie

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

[RESENHA] Nunca olhe para dentro – Amanda Ághata Costa

Nunca olhe para dentro – Amanda Ághata Costa
Na trama conhecemos Betina, uma criança que aos oitos anos de idade já era considerada um prodígio pela sua habilidade com a pintura.
O seu amor pela arte é tão grande que ela tem o hábito de classificar o humor e a personalidade das pessoas por cor (no livro é possível encontrar uma tabela com as cores e a explicação de cada uma) por ser tão iluminada, ela recebeu o apelido de Amarelinha.
Ela tinha uma vida que não poderia ser mais perfeita. Pais amorosos, um dom incrível e apesar de tão nova, tinha alguns de seus quadros expostos em uma galeria de arte em Ostala, cidade onde mora.
Como o destino gosta de brincar com a nossa vida, ao sair da exposição dos quadros, ela e os pais sofrem um acidente de carro que acaba afundando como se fosse um milagre, Betina é a única sobrevivente, pois seu corpo acaba boiando até a superfície permitindo assim, ser salva. Muitas especulações sobre o que causou o acidente são levantadas, porém, após um tempo o caso é arquivado. Sua guarda é concedida a sua parente viva mais próxima: Cecília, irmã da sua mãe, e é aí que sua vida se torna um verdadeiro inferno. 
Sua carreira artística está arruinada, pois assim que foi para a casa da tia, seus quadros e seus materiais de pintura foram quebrados e sua tia a proíbe de pintar.
Durante os doze anos que viveu na casa da sua tia, ela sofreu diversos tipos de agressões, tanto físicas quanto psicológicas, não só da própria tia, como dos namorados dela. Mesmo que hoje em dia ela não more com sua tia, esteja se formando na faculdade, ela não tem coragem de denunciar as agressões, por puro medo.
O que traz alegria para sua vida, é a presença de seus amigos Paola, que ela conhece desde criança e é seu porto-seguro, e de Caio, que ela conheceu na faculdade e que se tornou muito importante na vida das duas. Eles são o colorido na sua vida que se tornou cinza.
Sem entender o motivo pelo qual Cecília a odeie tanto, Betina segue sua vida, acompanhada de seus fiéis escudeiros, porém em um final de semana que considerava perdido, pois ficaria presa ao seu estágio obrigatório da faculdade, Betina conhece Nicolas, um lindo médico que vai fazer sua vida mudar radicalmente. Ela encontra um motivo, pelo qual vale a pena aceitar as mudanças das quais ela tem tanto medo. 
Mas, seria Nicolas forte e insiste suficiente para colorir a vida da nossa tão sofrida protagonista?
Quem não vai gostar muito dessa nova mudança de Betina, obviamente é sua tia, principalmente quando ela perceber que Betina está prestes a sair de casa e a lutar até o fim para saber o causador do acidente que matou seus pais.
Ainda estou sem palavras para definir esse livro, desde que eu vi a capa pela primeira vez, já me encantei e fiquei super ansiosa para ler, a ansiedade foi tão grande que comecei e acabei no mesmo dia, rs.
Essa foi minha primeira experiencia com a autora e confesso que fiquei apaixonada, a mistura da narrativa com o lado artístico, e fato dela conciliar as cores com o estado das pessoas, é incrível, porque se olharmos a nossa vida, conseguimos classificar as pessoas que nos rodeiam da mesma forma.
Esse livro tinha tudo para ser igual a tantos outros que existem por aí, porém seu diferencial está no enredo, que ao passar da trama vai evoluindo de uma forma tão forte, não deixa nenhuma ponta solta e é muito bem organizado.
Amanda, soube como abordar temas pesados e difíceis de lidar, a trama é tão intensa, que somos capazes de nos envolver e entrar na trama sentindo e vivendo junto com a protagonista e todas as suas emoções e cores.
Tudo isso é possível, graças ao dom incrível da autora de tornar essa trama tão real.
Com essa capa incrivelmente linda, diagramação impecável , revisão excelente sem nenhum erro ortográfico, essa história mexeu tanto comigo, mudou tanto minha vida e o modo de enxerga-la, que eu recomendo que você tire um momento da sua vida para ler e se envolver no mundo da nossa protagonista tão sofrida, que mostrou que apesar das dificuldades, foi capaz de dar a volta por cima , e assim como Betina se perguntou diversas vezes durante o livro, você está pronto para olhar para dentro?


Encontre Nunca Olhe para Dentro

Nenhum comentário:

Postar um comentário