SUPERNATURAAAAAAAAAAAAAAAAAAAL!
Pra falar do amor da minha vida, minha paixão, a série que não vivo sem, que quero que não acabe nunca, que sei tudo sobre todas as temporadas, que amo todo o elenco, que sei as datas de aniversário, que chorei quando o Misha veio pra São Paulo e eu não o vi, que chorei quando ganhei um abraço do eterno Tio Lú, Mark Pelegrino, também chorei quando cancelaram a convenção deles que teria por aqui trazendo o mozão alce Jared Padalecki.

Bom, depois de tanto choro hahaha vamos ao começo antes do começo.
Antes de levar Supernatural para a televisão, o criador Eric Kripke tinha desenvolvido a série durante quase dez anos, tendo sido fascinado por lendas urbanas desde que era criança. Apesar de ter pensado em Supernatural como um filme, passou anos tentando vender a ideia num formato de série de televisão. 
O conceito passou por várias fases antes de se tornar no produto final, e mudou de uma antologia sobre o paranormal para um grupo de jornalistas que viajavam pelo país numa van "lutando contra demônios em busca da verdade". Kripke queria que fosse uma série na estrada por achar que essa era "a melhor forma de contar essas histórias porque é puro, despojado e incomparavelmente americano... 
Estas histórias existem em várias pequenas cidades espalhadas por todo o país, e faz muito mais sentido chegar e ir embora destas histórias dirigindo". Devido ao fato de já ter trabalhado anteriormente com a WB com a série Tarzan, Kripke teve a oportunidade de propor ideias de programas ao canal, e aproveitou a oportunidade para Supernatural. 
Porém, o canal não gostou da sua ideia dos jornalistas, por isso Kripke decidiu que os personagens principais eram dois irmãos e que eles são de Lawrence, no Kansas, devido à proximidade da cidade ao Stull Cemetery, um local famoso por suas lendas urbanas. 
Quanto ao nome que daria aos protagonistas, Kripke decidiu que se chamariam "Sal" e "Dean" como homenagem ao romance On the Road, de Jack Kerouac. Contudo, achou que "Sal" não era o melhor nome para um personagem principal e mudou-o para "Sam". 
Originalmente, o último nome dos irmãos seria "Harrison" para fazer referência ao ator Harrison Ford, visto que Kripke queria que Dean tivesse "a presunção ousada e imprudente de Han Solo". 
Porém, havia um Sam Harrison que morava no Kansas, por isso o nome teve de ser mudado por razões legais. Para combinar o seu interesse na Winchester Mystery House e o seu desejo de dar um aspeto de "Western moderno" à série, Kripke deu-lhes o sobrenome de "Winchester". 
Contudo, também isto criou um problema. O nome original do pai de Sam e Dean era "Jack" e também havia um Jack Winchester no Kansas, o que forçou Kripke a mudar o nome do personagem para "John".
Quando era mais jovem, Kripke gostava de ver séries em que o carro era um símbolo da mesma, como é o caso de The Dukes of Hazzard e Knight Rider. Isto levou-o a incluir um em Supernatural. Originalmente queria que o carro fosse um Mustang de 65, mas o seu vizinho convenceu-o a mudá-lo para um Impala de 67, uma vez que "você não pode colocar um cadáver no porta-malas" e porque "queria um carro que, quando pára num sinal, faça as pessoas trancar as portas". 
Kripke disse, "É o Rottweiler dos carros, e eu penso que isso dá mais autenticidade aos fãs de carros por causa disso, porque não é um carro bonito. É um carro agressivo, musculoso, e eu acho que é a isso que as pessoas reagem, porque se encaixa tão bem no tom do nosso programa".
Kripke já tinha apresentado a série para Peter Johnson, um produtor executivo da Fox, e quando ele passou a ser presidente da Wonderland Sound and Vision, contratou Kripke. Pouco depois, Johnson envolveu-se no programa como coprodutor executivo, juntamente com McG, e a empresa de produção comprometeu-se a fazer o episódio piloto. Porém, antes do piloto começar a ser filmado, alguns problemas com o roteiro precisavam ser resolvidos. Originalmente, os irmãos não foram criados por seu pai, mas sim pelos seus tios. 
Assim, quando Dean pedia a ajuda de Sam no episódio piloto, tinha que convencer seu irmão sobre a existência do sobrenatural. Contudo, Kripke percebeu que desta forma o passado dos personagens principais teria sido muito complicado, e reescreveu o roteiro junto com Johnson de forma a que o pai de Sam e Dean os tivesse criado para serem caçadores. 
O roteiro passou por várias revisões. Uma das ideias originais era a de Jessica, namorada de Sam, ser na verdade um demônio e que tal revelação levaria Sam a juntar-se a Dean na sua viagem; contudo, Kripke achava que era mais apropriado que a motivação de Sam fosse a morte de Jessica, por isso decidiu matá-la da mesma forma que matou a mãe dos irmãos. 
Outro dos conceitos revistos foi o de Sam pensar que Dean era um assassino em série que matou o seu pai e seria este quem morreria em vez de Jessica. As filmagens do episódio piloto receberam luz verde após o diretor David Nutter, que já tinha trabalhado com Kripke em Tarzan, ter-se juntado ao projeto. Quando o canal comprou a série completa, o estúdio contratou Robert Singer para produtor executivo uma vez que queriam que Kripke trabalhasse com alguém com experiência. 
O coprodutor executivo, John Shiban, também foi contratado para a ajudar a desenvolver a mitologia da série devido ao seu trabalho em The X-Files. Kripke tinha um plano da mitologia para três temporadas, mas mais tarde expandiu-o para cinco e esperava terminar a série em alta.
Sinopse: Há 20 anos, Sam e Dean Winchester perderam sua mãe em um trágico e misterioso acidente, no qual as forças sobrenaturais — muito obscuras — estiveram envolvidas. Por esta razão, seu pai decidiu ensiná-los a lidar com a vida sobrenatural, ensinando-lhes técnicas de defesa contra as forças do mal; chegando até a ensinar a maneira ideal para matar os diferentes tipos de demônios. Agora, os irmãos Winchester percorrem os Estados Unidos em seu velho Chevy travando uma verdadeira batalha contra a obscuridade e a maldade. Objetos amaldiçoados, vampiros, bruxas e entidades maléficas — incluindo um Papai Noel não tão bonzinho — são só alguns dos desafios que estes dois irmãos têm de superar.

O Que Dizer?
É o maior show Sci-Fi da história. DEVERIAM ENTRAR PRO GUINNESS, GANHAR UM OSCAR, sei lá! Hahaha. Elenco maravilhoso, energia maravilhosa, crushs maravilhosos, é tudo maravilhoso.


Momento fofo: 
O Jensen postou uma foto de sua filha Justice com Thomas, filho de Jared, com a seguinte legenda: Thomas disse que vai pagar o casamento! Muito fofo né? ( Aquele momento que eu estou torcendo realmente pra que eles cresçam e se casem haha.


Fonte: Wikipedia


Um Comentário

  1. oláá! tudo bem??
    eu sou louca para começar a ver essa série! tem tudo que eu gosto, mas sabe que tenho receio de sentir medo?? hahaah mas fiquei animada de novo com o que falou!! :D
    beeijo

    http://lecaferouge.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir