Follow Us @dayukie

sexta-feira, 27 de maio de 2016

[RESENHA] O amor nos tempos do ouro - Marina Carvalho

O amor nos tempos do ouro - Marina Carvalho
Sinopse:
"Sabes que nunca me apaixonei, maman, mas se porventura o tivesse feito, seria por alguém como ele?"

Cécile Lavigne perdeu todos os que amava e agora está sozinha no mundo. Ela, uma franco-portuguesa que ainda não completou vinte anos, está sendo trazida ao Brasil pelo único parente que lhe restou, o ambicioso tio Euzébio, para casar-se com o mais poderoso dono de terras de Minas Gerais, homem por quem Cécile sente profundo desprezo. Após desembarcar no Rio de Janeiro, Cécile ainda precisará fazer mais uma difícil viagem. O trajeto até Minas Gerais lhe reserva provações e surpresas que ela jamais imaginaria. O explorador Fernão, contratado por seu futuro marido para guiá-la na jornada, despertará nela sentimentos contraditórios de repulsa e de desejo. Antes de enfim consolidar o temido casamento, Cécile descobrirá todos os encantos e perigos que existem nessa nova terra, assim como os que habitam o coração de todos nós. Com o passar dos dias, crescerá dentro dela a coragem para confrontar todas as imposições da sociedade e também o seu próprio destino.

Acho que posso definir este livro como incrível. A narrativa é gostosa, apesar de ser um romance de época e ter a pegada do português de Portugal, você ainda consegue sentir a leitura fluir bem e é claro, conhecer um pouco mais da história do Brasil, sobre a vinda dos Europeus para cá, a cultura daquela época, vestimentas, residências, estilo de vida e tudo mais.
Posso começar a dizer que.... Eu quis, de verdade, dar um monte de tapa no tio da Cécile. Ela acabara de perder os pais e o tio praticamente a vendeu, em um casamento sem nada de bom para ela, apenas pelo dinheiro que iria receber. Tudo bem, era algo ainda costumeiro na época, mas mesmo assim, a ambição do tio da Cécile foi além dos limites, ainda mais a vendendo neste casamento para um homem com a fama de inescrupuloso e horrendo e não no sentido estético.
Cécile é considerada uma mulher teimosa e muito "liberal", tendo uma visão mais ampla, ela tinha um olhar além, nada de sempre olhar só para frente e nem obedecer a tudo o que os outros acreditam ser o certo, mesmo que isso não seja o correto para a época. Uma mulher que enfrenta as pessoas até certo ponto, usando as palavras como sua maior arma e isso é de se admirar, principalmente se for pensar no período em que a história é contada. Não aguento mais mocinhas que só abaixam a cabeça. Entretanto, ela se vê encurralada em um casamento totalmente contra sua vontade e isso a deixa triste e irritada. Mas acata as ordens de seu tio, por ele ser seu tutor e não ter outra opção. Perdendo sua até então única amiga no meio desta confusão toda, por ordens do seu tio carrasco, Cécile é obrigada a ir para a casa de seu noivo com Fernão, um "aventureiro".
E então temos o Fernão, um homem que seu tio nunca aceitaria. Cansado da vida de explorador, aceita seu último trabalho: levar a moça rica. E depois deste serviço, quer se aposentar e manter-se afastado em seu sítio. Acreditando que a Cécile é uma moça cheia de frescura, se surpreende ao descobrir que ela é completamente ao contrário do que ele esperava e eu achei isso fofo. A quebra do pré-conceito que ele criou sobre a moça.
A história se inicia verdadeiramente com o percurso da casa de seu tio até seu noivo, Fernão e Cécile acabam convivendo e se conhecendo melhor, o que consequentemente mexe com os sentimentos de ambos, mesmo que o destino de Cecile até então estava traçado. E uma coisa que me fez admirar ainda mais a Cecile foram os objetivos dela como benefício desse casamento. Mesmo que ela não soubesse o que estava por vir, já planejava formas de libertar os escravos. Ela não os diferenciava, via como humanos o que era algo notável para uns e desagradável para outros nesta época.
Vale ressalta que há muitas palavras em francês (com tradução no final do livro, creio que a tradução poderia ter sido nota de rodapé), por conta da origem da Cécile, entretanto isso não dificulta a leitura. Além disso, você é capaz de conhecer a história do Brasil de uma forma mais interessante. Um amor proibido e um pouco da história do Brasil juntos, com certeza é bem mais interessante. Seu noivo, Euclides logo de início já demonstra ser um homem cruel e sem escrúpulos e com o decorrer do livro, você percebe que não estava errada. Ele era um homem terrível e seu filho, apesar de aparentar ser bom moço, também não era um bom homem. E a visão sobre ele só piora quando o mesmo decide que precisa se livrar da escrava grávida, sendo que o pai da criança é seu filho cafajeste. Além da forma como ele trata as mulheres, como seres submissos. Além dos castigos que ele pregava, mesmo em sua noiva. Isso com certeza me causou revolta e veja que eu não sou feminista, foi difícil engolir isso. Apesar de ser um costume da época, cada vez que eu via a forma como Euclides tratava cada mulher, me dava muita vontade de lhe dar uns tapas. A autora soube como prender os leitores quanto a este ponto, pois é um retrato real de como as coisas realmente sempre foram naquela época, claro que existiam as exceções, entretanto a grande maioria se comportava assim.
Depois de diversos percalços e a Cécile mostrando-se cada vez mais forte, como a vi no início, um plano transcorreu e ela enfim conseguiu sua liberdade. Entretanto toda ação tem suas consequências e a aventura inicia aqui. Claro que antes da tempestade, existe a calmaria, certo? Um casamento para resolver os problemas iniciou e junto a este casamento, grandes sentimentos estão aflorados. Acredito que seja de grande valia ressaltar que não vai encontrar cenas eróticas. Insinuação de que sim, ocorreu relações sexuais, sim. A cena completa, não. E preciso dizer: a forma como Fernão se comporta é simplesmente encantadora. Mesmo que ele seja um pouco rude nas ações, a forma como ele se comporta com Cécile é tão linda que eu mesma fiquei apaixonada por Fernão em diversos momentos ao longo do livro. As palavras que Fernão usava para chamar a Cécile é um mistério até praticamente o final do livro, dando um gostinho a mais, pois você sabe que são carinhosas, mas não sabe o significado.
Algo que eu amei neste livro foi o fato da autora quebrar o preconceito. Sim, ela a todo momento te faz lembrar que não importa qual a cor da pessoa, ela ainda é uma pessoa e eu adorei isso.
Dor, sofrimento e descobertas ainda marcam este livro até o último momento, mas quando é para o casal ser feliz, nada e nem ninguém mudou isso. Um livro lindo, emocionante e cheio de lições. Você vai aprender sobre a história do Brasil e algumas lições morais necessárias para a vida, vale a pena ler cada palavra.
O amor nos tempos do ouro - Marina Carvalho
A capa do livro demonstra bem em que época a história é contada. Não um livro contemporâneo, mas sim histórico. Os detalhes na capa são lindos, além da tipografia que combinou muito bem com o livro e é simplesmente encantadora.
A diagramação foi bem-feita, mas como eu disse antes, as traduções das palavras em outro idioma poderiam ter ficado como nota de rodapé, entretanto não estragou a beleza do livro e nem dificultou a leitura.
O livro ficou simplesmente lindo.
Se vale a leitura? Vale, a história é maravilhosa, cheia de reviravoltas e muito amor envolvido. Conhecer este livro foi incrível. E sim, já estou no aguardo do segundo livro. Imagino quem seja o casal do segundo livro e se for como o primeiro, tenho certeza de que não irei me decepcionar. Conhecer Fernão e Cécile foi lindo e valeu muito a pena.


Nota quatro

Compre O Amor nos Tempos de Ouro!
FNAC - Saraiva - Amazon - Americanas - Folha - Submarino - Travessa

Nenhum comentário:

Postar um comentário