Sinopse:
Travis perdeu a mãe muito cedo, mas, antes de morrer, ela lhe ensinou duas regras de vida - ame muito, lute mais ainda. Tendo crescido em uma família de homens que gostam de jogos e lutas, Travis Maddox é um cara durão. Musculoso e tatuado, bad boy até o último fio de cabelo, ele leva uma mulher diferente para casa a cada noite. Até conhecer Abby Abernathy. Determinada a se manter longe de problemas, Abby resiste com todas as forças ao charme de Travis, sem saber que assim só o deixa mais determinado a conquistá-la. Será que o invencível Travis 'Cachorro Louco' Maddox vai ser derrotado por uma garota?
O segundo livro de Belo Desastre, é contado pelo ponto de vista do Travis Maddox.
Conhecer a mente do Travis foi meio frustrante, me fez ver o quanto ele era mimado, além de ser auto depreciativo, e sim, isso me irritou um pouco.
Travis não teve uma infância perturbada, apesar de ter perdido a mãe muito cedo, ele foi sim amado pelo pai, além de ter os quatro irmãos maravilhosos. Ele cresceu esperando pela mulher certa e quando ele encontra, demora uma vida para assumir que ela é "a garota" e apesar de sentir uma enorme atração pela Abby, tenta evitar, pois não se acha merecedor de alguém como a Abby. 

Como assim? O cara é um amor, mesmo que tenha sido um galinha a maior parte da sua vida, ele é um homem maravilhoso. Ama e respeita sua família, tem um primo e melhor amigo que o ama muito e sim, ele é um cara legal. Porque não iria merecer alguém como a Abby? Claro que na mente do Travis, a Abby é tipo, uma rainha, está no pedestal, é maravilhosa e perfeita, mas mesmo assim, porque ele se coloca lá no chão? Isso não foi algo legal de se assistir.
Enfim, sobre a Abby e jeito dela que me irritou desde o primeiro livro, agora vendo pelo ponto de vista do Travis, posso concluir que eles se mereciam sim, principalmente por causa das atitudes.
Tudo o que o Travis sabe pensar é: Abby é boa demais pra mim, quero socar todo mundo, quero transar com ela.
Jura que é assim que a mente masculina funciona? Eu achei meio exagerado isso. E ver como ele observa as atitudes da Abby e mesmo assim insiste, me faz querer bater mais ainda na Abby e no Travis. A menina vive em uma bolha, mesmo que ela tenha sofrido pelos erros do pai viciado em jogos, viver em uma bolha por isso, foi muito frustrante.
Entretanto, tem o lado positivo de conhecer a história do casal pelos olhos masculino. O esforço que ele teve para ser notado pela Abby, como o simples fato dele abrir a porta para ela, me fez gostar dele. Afinal, pela Abby, ele quis ser um cavalheiro, ajudá-la estudar, mesmo que seja para passar um tempo a mais com ela e isso também me fez amá-lo um pouco mais. Ou seja, apesar de ter atitudes idiotas, Travis soube me cativar, de uma forma meio torta, porém foi a forma dele. E provavelmente foi assim que ele conquistou a Abby.
A história iniciar mostrando o momento em que o Travis perdeu sua mãe, foi comovente, intenso e maravilhoso. Ele a amava, mesmo que não tivesse passado tanto tempo com ela, foi possível o quanto ele a amou e o quão doloroso foi para ele perdê-la. E sinceramente, isso foi meio que uma justificativa para o que ele se tornou e como surgiu o apelido "beija-flor".
Para Travis, mesmo que ele não tenha percebido, foi amor a primeira vista. Difícil para ele compreender que isso ocorreu e mais difícil ainda lidar com esse sentimento novo. O ciúme, o que estar perto dela, querer que ela seja feliz, amar cada coisa nela. A Abby foi uma sortuda! Além do mais, o tanto que Travis teve que lutar para ficar com a Abby, foi meio maluco. Lógico, que ele fez tudo do jeito dele, ou seja, meio torto e errado, porém ele era assim. E se mostrou ser um cara forte, não só fisicamente, ou seja, lutando no ringue, mas fora dele, lutando pelo coração de uma garota que resistiu a ele desde sempre.

Esse livro é a mesma história de Belo Desastre, porém visto pelo Travis.
Não achei um livro desnecessário, adoro conhecer a versão masculina e com certeza foi bom ver como a mente do Travis funcionava, apesar de tudo.
O final do livro foi lindo e o epílogo deu um gostinho de quero mais, diferente do primeiro livro, o epílogo me surpreendeu e me deixou curiosa sobre o futuro deles. Sim, creio que neste livro, esse epílogo foi o que mais amei.
Travis sofreu, aprendeu, amadureceu e teve seu feliz para sempre. Se você gostou do primeiro livro, com certeza irá gostar deste.

A capa, por manter a identidade do primeiro livro, ficou lindo, além de atrair muito a minha atenção.
Eu indico a você, pois apesar de tudo, o Travis foi apaixonante, do jeito dele é óbvio, mas foi. 


Adquira já!
Submarino - Saraiva - Amazon - Extra - Casas Bahia - Americanas - Ponto Frio - Walmart - Travessa - Folha - Livraria Cultura

Deixe um comentário