Follow Us @dayukie

domingo, 31 de janeiro de 2016

[RESENHA] Duff - Kody Keplinger

Sinopse:

Bianca Piper não é a garota mais bonita da escola, mas tem um grupo leal de amigas, é inteligente e não se importa com o que os outros pensam dela (ou ela acha). Ela também é muito esperta para cair na conversa mole de Wesley Rush - o cara bonito, rico e popular da escola - que a apelida de DUFF, sigla em inglês para Designated Ugly Fat Friend, a menos atraente do seu grupo de amigas. Porém a vida de Bianca fora da escola não vai bem e, desesperada por uma distração, ela acaba beijando Wesley. Pior de tudo: ela gosta. Como válvula de escape, Bianca se envolve em uma relação de inimizade colorida com ele. Enquanto o mundo ao seu redor começa a desmoronar, Bianca descobre, aterrorizada, que está se apaixonando pelo garoto que ela odiava mais do que tudo.
Eu estou totalmente cativada por Duff.
Apesar da Bianca ter me irritado em muitas atitudes, ela ainda é uma adolescente suscetível a erros, pois ela está crescendo! E o Wesley, um idiota egocêntrico, mas que no decorrer do livro se mostra um amor de garoto, além de apresentar o amadurecimento dele.
Bianca Piper sempre foi a "diferente" entre suas amigas. Não gostava de baladas e não se apaixona fácil, sendo que ela teve somente um namorado que a machucou e a deixou depressiva por um longo período. Tendo duas amigas, quase irmãs, Bianca tem uma vida relativamente boa, apesar de quase nunca ver sua mãe, pois está sempre viajando a trabalho e não tem um relacionamento comunicativo com o pai, a Bianca sempre soube lidar com isso. Porém as coisas começam a mudar. Primeiro que em uma noite onde suas amigas a arrastaram para o Nest, uma espécie de balada/bar para jovens, sem bebida alcoólica, ela acaba se deparando com o Wesley, o garoto que sempre estudou com a Bianca e ela sempre o odiou pela vida "promíscua" que ele tem. Uma atitude idiota do Wesley, faz com que ele acabe se aproximando da Bianca apenas para "chamar a atenção" das suas amigas, Casey e Jessica. A conversa entre Wesley e Bianca não é agradável e ela acaba sendo chamada de Duff, termo que de acordo com a Bianca, significaria uma garota desastrada, feia, gorda e amiga.
Quando alguns problemas em sua casa a abalam, ela decide ir novamente com as suas amigas para o Nest e como uma forma de fugir dos seus problemas, ela acaba ficando com o Wesley. Após esse fato, diversos problemas vão surgindo e como qualquer adolescente, ela acaba procurando formas de fugir dos seus problemas, consequentemente ela começa a usar o Wesley como sua válvula de escape e começa a realmente a se aproximar dele, conhecendo um pouco mais sobre o garoto que ela sempre odiou e descobrindo que ele apresenta diversas máscaras para lidar com os próprios problemas.
No decorrer do livro, encontramos a necessidade de encarar seus problemas de frente, o amadurecimento, principalmente quando envolve amizades e aprender a lidar com os problemas familiares, deixando claro que eles precisam ser trabalhados por ambas as partes.
Com muito drama adolescente, vemos duas pessoas criando sentimentos até então indesejados, mas inevitáveis e principalmente, conhecemos o outro lado de cada personagem. E claro, podemos acrescentar a força das palavras, o quanto a Bianca sentiu-se mal por ter sido chamada de Duff e o Wesley tendo que lidar com as consequências de ter magoado a Bianca, mesmo que sem a real intenção de fazer isso.
É um livro bem adolescente, mas é tão gostoso de ler, que acredito não importar a idade para se deixar mergulhar neste livro leve e incrível.
Duff - Kody Keplinger
Além disso, essa foi uma das capas que mais amei em um livro até hoje. Não há comparação entre essa capa e a original. Achei que combinou com o tema e atrai o público jovem, acrescentando a diagramação linda e a revisão impecável, coisas que aprecio em livros.
Esse livro com certeza carrega muitas lições a serem aprendidas, mas principalmente, ensina que o modo como os outros te olham ou pensam sobre você, não deve realmente ser levado em consideração como a última palavra, afinal, Bianca, mesmo sendo chamada de Duff, continuou sendo ela. Mesmo que tenha sim, ficado magoada com o "apelido", ela não abaixou a cabeça, agiu como ela mesma e não tentou mudar, porque os outros acham algo dela. Eu amei isso na Bianca, ela não mudou pelos outros, ela mudou porque ela precisava, por ela.
Enfim, a história vale totalmente a leitura. Te faz pensar nas suas atitudes, te faz entender que toda ação tem uma consequência, além de mostrar o quão difícil é a transição da adolescência para a vida adulta, ainda mais quando a sua base, ou seja a sua família, está com a estrutura abalada.

4 comentários:

  1. Olá :)
    A capa do livro é de fato lindíssima, adorei a trama, mas gostaria de saber se é o esteriótipo garota virgem e bad boy? Tem tudo para ser uma boa história e adorei conhecer o termo Duff ^^
    Adorei sua resenha e seu blog!

    Beijos,
    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ela não é virgem não! HUEHUEHEUEHUE pra ser sincera, ela quem meio que """"atacou"""" o Wesley quase sempre. Mas o Wesley é um galinha e que também tem problemas, a diferença desse galinha é que ele além de galinha é um bom amigo. Eu super recomendo a leitura, eu amei demais!

    ResponderExcluir
  3. Esse livro é muito amor! Terminei de ler ele e ainda assim não consegui me desprender da história. Só espero que a editora traga mais livros dessa autora pra cá.
    Beijos.
    http://recolhendopalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nooossa! Se a Globo Alt trazer mais livros da Kody, vou amar a Globo pra sempre! <3
      Super amorzinho o Wesley <3 HAHAHA

      Excluir