Não se apega, não - Isabela Freitas
Sinopse:
Desapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de laranja. O amor vem pros distraídos.
Tudo começa com um ponto-final: a decisão de terminar um namoro de dois anos com Gustavo, o namorado dos sonhos de toda garota. As amigas acharam que Isabela tinha enlouquecido, porque, afinal de contas, eles formavam um casal PER-FEI-TO! Mas por trás das aparências existia uma menina infeliz, disposta a assumir as consequências pela decisão de ficar sozinha. Estava na hora de resgatar o amor-próprio, a autoconfiança e entrar em contato com seus próprios desejos.
Parece fácil, mas atrapalhada do jeito que é, Isabela precisa primeiro lidar com o assédio de um primo gostosão, das tentações da balada e, principalmente, entender que o príncipe encantado é artigo em falta no mercado.
Isabela Freitas, em seu primeiro livro, narra os percalços vividos por sua personagem para encarar a vida e não se apegar ao que não presta, ainda assim, preservando seu lado romântico.
Não se apega, não é um livro que me deu alguns tapas na cara.
Ele me fez pensar: Se eu tivesse esse livro antes, talvez eu tivesse feito menos besteiras em relação a relacionamentos, amizades e a minha falta de autoconfiança.
Foi um livro que me abriu os olhos para muitas coisas que fiz e que ainda faço. Os conselhos da Isabela, as comparações que acabei fazendo entre o personagem e a mim, foram de grande valia.
A história começa com um término, o que já muda em muitos aspectos comparados a outros livros, o ponto final do relacionamento entre a Isabela e o Gustavo. E com isso inicia-se as reflexões sobre as pessoas temerem serem sozinhas. Também diz a respeito sobre amigos que se vão, amigos que te decepcionam, amores que vem e vão, amores que não duram nada, que te ferem.... Sinceramente, este livro retrata a vida que praticamente toda adolescente enfrenta.
Apesar de eu não ser tão fã de livros de autoajuda, esse livro me ensinou algumas coisas importantes, com dicas incríveis e que te fazem pensar.
Narrado em primeira pessoa, Isabela seria eu com 15 anos. Tem coisas ali que eu não concordava, mas tem coisas que me identifiquei muito. E sinceramente, eu com 22 anos, usei alguns dos conselhos para pensar e levar comigo para o futuro. Não é o melhor livro do mundo, mas que te ajuda a pensar em algumas atitudes suas e principalmente, o quanto você ainda vai aprender.
Essa coisa de desapegar foi o que mais se encaixou para mim, entender o real conceito de desapegar, me faz ver que preciso aplicar isso em minha vida.
Entretanto, este livro é mais indicado para adolescente mesmo, pois se você já for adulta, muita coisa vai ser desnecessária e não irá agradar.
Não se apega, não - Isabela Freitas
A capa do livro foi bem elaborada. Com uma cor chamativa e uma tipografia que se encaixa bem com o público principal do livro, é um livro bem adequado para meninas adolescentes que estão se descobrindo ainda. Além de ter uma diagramação impecável, uma boa revisão e detalhes chamativos, interessantes e bem feitos, o que me agradou profundamente.

Eu gostei do livro por ter me feito pensar na minha vida no passado, mas para mim, uma garota de 22 anos, é um livro dispensável. Mas se você for uma adolescente e está em meio à crise existencial, que toda adolescente enfrenta, é o livro ideal para você.



Onde comprar Não se Apega, não

Deixe um comentário