06:00:00

[RESENHA] Uma Noite Sem Você - Viajando Com Rockstars #2.5 - Aline Sant' Ana

by , in
Uma Noite Sem Você - Viajando Com Rockstars #2.5 - Aline Sant' Ana
Final feliz existe? Zane e Kizzie nos dá a esperança que existe sim. Pessoas com personalidades diferentes, mas com um amor que supera qualquer obstáculo, basta estarem juntos para que tudo seja possível. 
Depois de conhecer o início da linda história do Zane e Kizzie em 11 Noites com Você, vemos os problemas que eles precisam viver ao voltar para Miami. Lidar com a mídia falando mal da Kizzie e o medo da aceitação dos fãs da banda The M’s é algo que Kizzie está tendo de lidar como a empresária da banda e noiva do guitarrista, porém, a decisão de não contar para o Zane talvez seja a certa ou a errada, porém, depois que Zane descobre, eu me vejo mais apaixonada por esse guitarrista safado. 
Zane ama Kizzie com tudo de si, como ele nunca amou uma mulher na vida e teme que Kizzie dê para trás e não queira se casar com ele. Além disso, ainda tem a mídia no pé deles e o fato que eles estão verdadeiramente se conhecendo, mesmo que por muitas vezes eles sintam como se conhecessem a anos devido a afinidade que eles têm. Depois do primeiro grande obstáculo ser ultrapassado, agora vem algo que coloca o relacionamento deles a prova, uma noite longe um do outro, para a “despedida de solteiro” e isso só ocorre depois que um convite para o cruzeiro erótico chega e a necessidade de ajudar um amigo se faz mais forte. 
Será que Zane vai aguentar esse cruzeiro? E Kizzie? Como ela se sente com essa viagem? 
Sinceramente, esse foi um dos livros mais lindos que li. Mostrar a importância da confiança, a necessidade de serem abertos um com o outro, além de todo o amor que eles nos ensinam, afinal, o relacionamento deles é sim algo saudável. Sabem ser profissionais e se amarem, além de respeitarem o espaço de cada um, mas estarem juntos. O final com certeza foi surpreendente e quero mais, muito mais. Achei linda a atitude dos amigos, as decisões que tomaram e toda a felicidade que vi presente naquela grande família. Não teve como não amar cada página lida. 
Além disso, temos uma capa MARAVILHOSA! Combinando com a identidade visual da série e sendo atrativa. Também temos uma diagramação linda, com os dois contando um pouco da história e as músicas no começo de cada capítulo.... Tudo lindo demais. No entanto, precisa de uma revisão, principalmente no final do livro, erros pequenos estão ali, mas de resto, está ótimo. 
Acho que já estou sentindo falta do Zane e mesmo que ele vá aparecer no livro do Yan e do Shane, sinto que ainda irei querer mais dele, mais daquela felicidade, mais de tudo deles.


Leia Uma Noite Sem Você
06:00:00

[RESENHA] Fueled: O que acontece quando a pessoa que você menos espera se transforma na mais importante da sua vida? - Driven #02 - K. Bromberg

by , in
Fueled: O que acontece quando a pessoa que você menos espera se transforma na mais importante da sua vida? - Driven #02 - K. Bromberg
Depois do final dramático em Driven, vemos em Fueled que a Rylee e o Colton ainda tem um longo caminho a percorrer. 
Nesse livro conhecemos um pouco mais as dores e os problemas do Colton. O quanto o passado dele ainda se faz presente em sua vida e o quanto tudo o que ele viveu o moldou e marcou de uma forma profunda e dolorosa. Porém, apesar de vermos o quanto ele está ferido, o quanto certas palavras o machucam por conta do passado horrível que ele teve, ainda não vejo justificativa plausível para ferir tanto a Rylee, da mesma forma em que não encontro motivos plausíveis para ver a quantidade de vezes que ela o perdoa. Compreendo o amor que ela sente por ele, mas a quantidade de vezes em que ele a machuca supera isso de forma inimaginável. 
Apesar de neste livro observarmos diversos momentos em que as brigas são constantes e sinceramente cansativas, eu continuo em dúvida se amo ou odeio demais esse livro. A história passa praticamente toda em volta de atração, brigas e ambos sendo idiotas. As provocações infantis, as ofensas desnecessárias, os conflitos que poderiam ter sido evitados... São tantos momentos que eu parei e me perguntei "quantos anos vocês têm?" e eu nem posso contar as diversas que quis jogar o livro na parede. 
Acho que me ajudou demais a compreender e levar o livro até o fim é que a história nos mostra o ponto de vista do Colton, o que auxiliou a entender minimamente a mente dele e aceitar algumas atitudes que ele tomava, também temos o amor imenso que tanto o Colton quanto a Rylee têm pelas crianças e foram esses momentos que mais me fizeram amar e suspirar. 
Com um final arrebatador, eu só espero que o próximo livro me faça voltar a ter grandes sentimentos pelos personagens, pois nesse só quis bater na cabeça deles para ver se os neurônios voltam a funcionar. 
Posso afirmar que adorei a capa. A editora abriu a opção de escolhermos e também não houve tradução do nome do livro, algo que apreciei imensamente. A diagramação e revisão do livro estão maravilhosas, ajudando na leitura e a fazendo fluir facilmente. 
Em resumo, o livro todo está lindo, apesar dos personagens terem me irritado um pouco, creio que seja um meio para o fim.



Leia Fueled
Amazon
05:00:00

[INSPIRAÇÃO] Conheça algumas estantes de livros para se inspirar e se apaixonar! (Parte 2)

by , in
Conheça algumas estantes de livros para se inspirar e se apaixonar!

Amantes de livros sempre sonham em ter a sua própria biblioteca, mas que tal começar com incríveis estantes? Ter o espacinho apaixonante e só seu? 
A algum tempo atrás, eu compartilhei aqui algumas estantes para vocês conhecerem, então decidi compartilhar mais estantes para vocês se apaixonarem. Vem conferir algumas estantes maravilhosas para você se inspirar e criar o seu próprio espaço.


Amei essa ideia de nichos, cabe em qualquer lugar e você pode montar do jeito que quiser, mas meu sonho é ter uma estante enorme e que eu precise de escadas só para lidar com ela. 
Porém, para quem tem pouco espaço, embaixo da escada é uma ótima opção, aproveitar espaços sempre é uma boa.


Sabe aquelas caixas de feira? As de madeira? Então, é um que eu desejo na vida. Simples e barato, só não sei se é fácil de achar, mas mesmo assim, a praticidade é algo que essa forma de estante oferece. E como eu disse e amei demais a ideia, é criar estante embaixo da escada. Além de ocupar menos espaço, é simplesmente lindo. Ou então, os nichos, você pode arrumar como quiser, simples e bem organizado.


Estante na sala como decoração? Eu acho maravilhoso e é o meu sonho. Além de ser um luxo, você ainda deixa a casa mais bonita. Também temos o diferente, acho pouco prático, mas é maravilhoso!
E pensando em praticidade, uma pequena estante embaixo do seu "sofazinho", ao lado da janela é algo que sonho muito e desejo pra vida também. Além de ser bonito é bem prático e você fica em um lugar aconchegante e gostoso de ler.

E então? Gostaram dessas estantes?
Eu sou apaixonada e sempre estou olhando para ter uma ideia do que eu desejo.
Me contem o que acharam.

Fonte: Pinterest
12:48:00

[RESENHA] A Senhora do Jogo - Sidney Sheldon & Tilly Bagshawe

by , in
A Senhora do Jogo - Sidney Sheldon & Tilly Bagshawe
Antes de começar a resenha preciso alertar que A senhora do jogo, é a continuação do livro O reverso da medalha, sendo assim, sugiro que a leitura seja feita na ordem, para melhor entendimento da trama. 
Na continuação da trama, vamos conhecer a história dos herdeiros mais novos de Kate Blackwell, Max Webster e Lexi Templeton. Os dois são primos, sendo Max filho da perversa Eve Blackwell e Lexi, filha da meiga, doce Alexandra Blackwell, ambas netas da poderosa Kate, nossa heroína de “O Reverso da Medalha”, dona do império multinacional Krueger-Brent. 
Com a morte de Kate, a trama nos mostra o embate entre Max e Lexi para assumir o controle da Krueger-Brent, e já adianto que para conseguir o controle, eles serão capazes de tudo, até as últimas consequências. 
Durante a trama vamos conhecer outros personagens coadjuvantes, como Robbie, o irmão de Lex, um pianista talentoso e revoltado, a mãe louca e manipuladora Eve, mãe de Max, o atormentado Dr. Peter Templeton, pai de Lexi, que ama a filha, atendendo todos os seus desejos, mas menospreza o filho Robbie e o enigmático Gabriel McGregor, descendente do avô de Kate, entre muitos outros. 
A trama não foi muito bem desenvolvida, visto que, após ler o Reverso da medalha tão bem escrito, confesso que me decepcionei bastante com o livro, Tilly Bagshawe foi convidada pelas herdeiras e viúva de Sidney, para dar continuidade a um dos melhores livros que já li, mas na minha opnião essa trama foi um grande desastre, apesar de muitos terem achado a obra genial. 
A autora exagerou bastante nas cenas de sexo, deixando de lado detalhes que poderiam ter sido mais explorados. Senti muita falta da empatia entre os personagens principais, outro detalhe não muito explorado pela autora foi a falta de determinação de Lexi, sendo Sheldon especialista em criar personagens feministas determinadas e sensuais ao mesmo tempo, aqui a autora deixou a desejar. Sidney também sabia explorar toda sexualidade sem ser grosseiro e detalhista. Também faltou a ambiguidade especifica de Sheldon, seus personagens sabiam ter momentos em que ora bons, ora ruins. Ele sabia muito bem como fazer isso, sem que uma personagem ficasse marcada somente por uma dessas características. 
Enfim, sendo uma fã de Sidney Sheldon, esperava um pouco mais de A senhora do jogo, mas entendem, isso não é impedimento para que vocês, caros (as) leitores (as), não leiam o livro, recomendo que leiam sim, pois mesmo com essas controvérsias todas temos uma continuação que precisa ser finalizada. 
A Editora Record fez um ótimo trabalho na capa, a diagramação está impecável e não encontrei erros de ortografia visíveis. 
Como citei no inicio da resenha, é de extrema importância que antes da leitura de A Senhora do Jogo, seja feita a leitura de O Reverso da medalha.


Leia A Senhora do Jogo


06:00:00

[RESENHA] Mindhunter - John Douglas e Mark Olshaker

by , in
Mindhunter - John Douglas e Mark Olshaker
Esse incrível livro foi escrito pelo próprio John Douglas que junto com Mark Olshaker, resolveu compartilhar todo o seu conhecimento e sua história no FBI. Para entendermos toda trajetória, os primeiros capítulos são focados na vida do agente. Apesar de parecer um pouco parado no início, quando chegamos aos crimes mais obscuros e perversos, é aí, que o ritmo de leitura muda completamente, e acredite, você não vai querer largar mais.
John conta histórias dos mais loucos crimes que resolveu durante toda a sua vida no FBI, em alguns casos, ficamos nos questionando por que fizeram tal barbárie, temos alguns exemplos claros, como o caso de Wayne Williams, o assassino que matava crianças em Atlanta, o que raptava mulheres para soltá-las na floresta e caça-las como animais ou o que matou a própria mãe, arrancou sua cabeça e manteve relações sexuais com seus restos mortais.
O interessante da trama é a forma com que John consegue fazer com que o leitor passe a enxergar o lado do assassino, mas não de modo a inocentá-lo, e isso fica claro em todos os momentos do livro. Ele nos dá a possibilidade de enxergar através de todo disfarce, por meio do comportamento. John sempre nos afirma que para conhecer a evolução dos métodos de caça a assassinos é entrar na mente deles.
É incrivelmente assustador como as características de John como agente toma forma, e percebemos a facilidade que ele tem para solucionar os casos. John nos fala também que durante boa parte da sua carreira, ele resolveu assassinatos a distância e o que mais deixava ele com raiva, era o fato de a polícia local ter demorado tanto para desvendar algo tão simples.
Toda narrativa é bem fácil e é possível ler o livro de uma forma bem rápida. Não espere encontrar os assassinos e todos os atos em si, o que torna esse livro tão interessante é o processo de racionalização através de toda análise comportamental.
A trama é dividia em temas como o processo de identificação comportamental pré e pós crime, discussão como, na grande maioria das vezes, os assassinatos ficam sem solução.
Se você, assim como eu, é fã do gênero policial, posso afirmar sem sombras de dúvidas que esse foi um dos melhores livros sobre serial killers que eu já li, toda trama é muito bem escrita, a forma como John nos apresenta os casos e nos torna capazes de entrar na mente dos assassinos e nos envolver na trama é incrível!
A editora intrínseca fez um ótimo trabalho em todo livro, sem nenhum erro ortográfico, diagramação perfeita e gostaria de destacar em especial a capa com efeitos de manchas de sangue e impressões digitais, e a contracapa com uma pessoa encapuzada refletindo numa cidade, o que combina perfeitamente com o contexto de toda trama, tudo isso reunido me fez desejar muito a leitura desse livro, e como eu já esperava não me decepcionou.
Além do livro, temos uma série de mesmo nome na Netflix baseada no livro em todos os casos de John. A série não fica atrás do livro, é bem fiel a toda trama, com um ponto ou outro diferente. Recomendo tanto a série quanto o livro!

Mindhunter - John Douglas e Mark Olshaker

Adquira Mindhunter


18:17:00

[RESENHA] Tudo Por Você - Lilian Guedes

by , in
Tudo Por Você - Lilian Guedes
Li Tudo Por Você quando estava no Wattpad e desde aquela época, eu simplesmente me apaixonei pelo livro. Conhecer David e Natalie foi engraçado, apaixonante e um pouco problemático. Um casal que tinha tudo para dar errado, mas que no final, fizeram tudo para dar certo. 

Natalie é uma mulher “mimada”. Mora com o pai que prefere trabalhar a dar qualquer atenção para filha. Está fazendo faculdade e procurando algum jeito de viver a sua vida sem que o seu pai a controle e a ignore. Quando ela sem querer bate em um carro, acaba conhecendo um mecânico meio esquentadinho que acaba deixando a sua vida de cabeça para baixo, mas de um jeito bom. Mudar completamente a sua vida, viver em um lugar novo sem o apoio de seu pai, foi a melhor decisão que ela já tomou, afinal, acabou conhecendo o verdadeiro amor e ainda ganhou uma linda filha, porém, Natalie terá de enfrentar muitos problemas para conseguir o seu feliz para sempre, como amigos falsos e ambiciosos, um pai que decide que a quer de volta em sua vida e uma mulher que está tentando levar a sua pequena para longe. 
David é um mecânico que sempre quis viver a sua vida. Sem depender dos pais, depois de ter uma filha linda, foi viver a sua vida, sem cortar as relações com os pais, mas tendo de lidar com os avós maternos da Mia, a filha linda do David. Tendo uma grande aversão por garotas patricinhas mimadas, conhecer Natalie não estava em seus planos, principalmente com uma Natalie batendo no carro que acabou de consertar ou uma Natalie meio quebrada indo morar no andar de cima do seu prédio. No entanto, conhecer Natalie foi a melhor coisa em sua vida e na vida da sua filha. Eles mudaram, David amadureceu mais ainda, Mia ganhou a mãe que sempre quis e Natalie saiu das asas do pai para viver a sua própria vida. 
Um livro lindo, mostrando duas pessoas amadurecendo juntas. Se descobrindo e aprendendo a amar. Natalie deixou de ser uma menininha para se tornar uma mulher responsável. David deixou de lado o seu lado bad boy para se dedicar a sua Natalie e amar ainda mais a pequena Mia e claro, Mia, a macaquinha que sempre sonhou em ter uma mãe e acabou ganhando a melhor. 
Com uma história cheia de reviravoltas, de novo me apaixonei por essa família. Conhecemos o lado ruim das pessoas que se dizem amigas e o lado bom de amigos verdadeiros que estão sempre ao seu lado. A psicose das mulheres que precisam de amor e o amor verdadeiro que se é conquistado. 
Não pude deixar de me apaixonar pelo livro. A capa nova também está linda e uma diagramação maravilhosa, nos dando os pontos de vista de ambos bem claro, porém precisa sim de uma nova revisão. Coisas pequenas, mas estão lá. Um livro lindo, uma história maravilhosa e com tantas surpresas boas e ruins que te deixa ansiosa e suspirando o livro inteiro.


Leia Tudo Por Você
Amazon (e-book)
12:11:00

[ENTREVISTA] Sam Wilson, autor do livro O Assassino do Zodíaco

by , in

Eu não teria escrito esse livro se eu não vivesse na África do Sul. É difícil viver aqui sem pensar em como somos moldados por nossos grupos culturais. Mais de vinte anos depois do Apartheid, ainda há fendas culturais extremas na África do Sul que pioram por causa do racismo, desigualdade econômica, reinvindicações histórias legítimas, língua, religião e geografia. É uma situação complicada, e eu acho que é um problema mundial.
Conversamos com Sam Wilson, autor do nosso mais novo lançamento, O Assassino do Zodíaco. Sam nasceu em Londres e foi para o Zimbábue ainda criança, estabelecendo-se depois na África do Sul. Em 2011, foi considerado um dos “Duzentos Jovens Sul-Africanos de Maior Destaque” e hoje trabalha como diretor de TV na Cidade do Cabo.
Confira abaixo o resultado dessa conversa!


Sam, obrigada por conversar com a gente. Você pode falar um pouco da sua carreira como escritor? Como tudo começou?

Eu comecei a escrever por causa de uma mentira. Quando eu tinha vinte anos, um amigo me desafiou para uma competição para escrever cinco contos em cinco gêneros diferentes. Escrever era bem mais difícil do que eu pensava, mas eu curti o desafio. No fim da competição ele me mostrou os contos dele, e acabou que todos os textos dele eram cópias de outros autores. Quando eu o questionei sobre isso, ele alegou que os autores tinham pagado a ele pelos contos e publicado sob os nomes deles. Isso foi obviamente ridículo, e com o passar das semanas ficou claro meu amigo era um mentiroso patológico, e também que ele tinha roubado dinheiro de mim e de outros amigos. Quando ele foi pego, ele teve um surto e fugiu de casa. Foi uma situação triste e eu não quero fazer piada disso, mas no fim eu acabei com cinco contos. Seis, se você contar com esse.
Desde então, eu tenho escrito peças, séries para televisão, filmes, e quadrinhos, mas eu gosto mais de escrever romances.

Como foi o processo de escrita de O Assassino do Zodíaco? Você gosta de astrologia? De onde você tirou a ideia para o livro?

Eu sou curioso com astrologia. Eu não acredito que seja real da mesma forma que, por exemplo, a astronomia é, mas é culturalmente aceita e tem um impacto real na vida das pessoas. Eu aprendi a ler mapas astrais como pesquisa para o livro (não de forma perfeita — é muitíssimo complicado e eu podia passar anos nisso). Do meu ponto de vista, as informações que um mapa astral apresenta são contraditórias. Mas da mesma forma que seus olhos encontram padrões na interferência da televisão e em borrões de tinta, astrólogos encontram significado nesses mapas, e eu acho que o que eles estão fazendo é escolher um padrão útil no subconsciente deles.
Eu tive a ideia para “O Assassino do Zodíaco” quando estava pensando sobre profecias autorrealizáveis. No livro, Capricornianos são entendidos como empreendedores, então os pais os mandam para as melhores universidades. Librianos são alinhados na indústria de serviços, e os Arianos são varridos para as favelas. Quando Capricornianos têm sucesso ou quando os Arianos falham, todo mundo acredita que isso é uma prova de que suas crenças são corretas e que o sistema funciona. Na verdade, as coisas são bem mais complicadas.

Como você relaciona os aspectos sociais da África do Sul com aqueles que você mostra no seu livro?

Em O Assassino do Zodíaco, os diferentes signos astrológicos se tornaram grupos sociais separados que desconfiam uns dos outros por razões históricas. Alguns leitores me elogiaram por representar bem os signos deles e outros disseram que eu fiz errado, mas eles não entenderam: Os grupos sociais do livro são estereótipos. Eles não são precisos. Eles foram distorcidos pelo preconceito.
Você estava pensando no serial killer Zodíaco quando estava escrevendo o livro? As pessoas confundem os dois assuntos?
Eu fico surpreso que isso não é mencionado mais vezes! Não há ligação direta entre o serial killer Zodíaco real e o mundo do livro, mas tem um sabor parecido: o cenário é a costa leste dos Estados Unidos e o assassino no livro tem motivos enigmáticos similares. Então há um eco poético que eu gosto.

O que você gosta de ler? Quais são suas influências?

Eu não li muito enquanto escrevia O Assassino do Zodíaco, e depois eu tive uma filhinha, o que me deixou sem tempo para ler ou dormir, então no momento estou colocando em dia alguns autores sul africanos contemporâneos. Algumas pessoas que eu conheço escreveram recentemente livros que parecem incríveis: estou lendo no momento The Yearning de Mohale Mashigo, e pretendo ler Knucklebone de N R Brodie, que é um thriller criminal sobrenatural que se passa em Johanesburgo.
Acho que minhas maiores influências são Lauren Beukes e Sarah Lotz, e eu sou muito sortudo de ser amigo das duas.

Você quer deixar uma mensagem para seus leitores brasileiros?

Eu estou encantado com a recepção positiva do O Assassino do Zodíaco no Brasil! É maravilhoso ver tantas pessoas empolgadas com ele. Obrigada a todos que leram o livro, e para quem ainda não leu, espero que vocês gostem.